ALERTA: SAIBA A IMPORTÂNCIA DE ATUALIZAR O CARTÃO DE VACINA

0

O cartão de vacinação é um documento indispensável durante o desenvolvimento de uma criança. No entanto, após os 15 anos, ao terminar o calendário oficial de vacinação, muitas pessoas se esquecem de que devem continuar a ser imunizadas contra uma série de doenças. Além disso, manter o cartão de imunização em dia é indispensável para ter controle sobre as vacinas que já foram aplicadas e as que necessitam ser administradas.

“Atualmente o Calendário Básico de Vacinação é composto por 14 vacinas que foram colocadas à disposição da população após diversos estudos e comprovação de segurança e eficiência”, afirma a Diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Janaína Fonseca Almeida.

Em Mamonas, a Sala de Vacina está funcionando temporariamente na Unidade Básica João Nunes Ferreira. Atualize o seu cartão de vacinas!

FEBRE AMARELA EM MINAS

Em 2017, até a última quarta-feira, foram notificados 48 casos suspeitos de Febre Amarela – sendo que desses, 16 são casos prováveis – e 14 óbitos suspeitos (8 considerados prováveis de Febre Amarela). Atualmente, foram identificadas quatro Unidades Regionais de Saúde com registro de morte de primatas (epizootias) e casos prováveis de febre amarela silvestre.

Desde as primeiras notificações, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais tem intensificado ações de contingência e bloqueio. Entre elas se destacam a intensificação da vacinação em municípios que são área com recomendação de vacina no Estado, e o reforço junto aos profissionais de saúde da importância da notificação de casos suspeitos e também mortes de primatas, como evento de risco da febra amarela em humanos.

O atual esquema vacinal contra febre amarela é composto por uma dose aos 9 meses de idade e um reforço aos quatro anos. Para indivíduos a partir de 5 anos de idade que receberam uma dose da vacina antes de completar 5 anos é necessário administrar um reforço; para pessoas que nunca foram vacinadas ou não possuem comprovante de vacinação é necessário administrar a primeira dose da vacina e um reforço após 10 anos. Indivíduos que já receberam duas doses da vacina ao longo da vida já podem ser considerados vacinados e não precisam do reforço de 10 em 10 anos.

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde – Governo de Minas

Compartilhar.

Sobre o autor

Deixe uma resposta

Acessibilidade
Acessibilidade